FÍSTULAS DIGESTIVAS

O que é fístula digestiva?

      Fístula digestiva ou gastrointestinal é uma das complicações pós-operatórias mais temidas, juntamente com deiscência e infecção. O tema é de grande interesse para o cirurgião e, apesar de numerosas publicações a respeito, uma série de aspectos relativos às fístulas do aparelho digestivo merece sempre considerações. Fístula gastrointestinal ou digestiva é a comunicação aberrante entre o tubo digestivo e qualquer víscera oca ou cavidade abdominal (fístula interna) ou, com a superfície cutânea (fístula externa). As fístulas podem ser classificadas quanto à localização anatômica (gástrica, pancreática, duodenal, jejunal, ileal ou colônica), débito (alto débito >500ml/24 horas e baixo débito <500ml/24 horas), origem (congênitas ou adquiridas) ou ainda como primárias (devido a processos patológicos intestinais), ou secundárias (intervenções cirúrgicas). Fístulas adquiridas podem ser de natureza inflamatória/infecciosa, neoplásicas,ou traumáticas3 . As fístulas costumam surgir na primeira semana de pós-operatório, com seu maior pico por volta do quinto ao sétimo dia, o que demanda uma rigorosa avaliação pós-operatória, principalmente em pacientes com maior risco de evoluir com estas complicações . As principais causas de mortalidade relacionadas às fístulas são a desnutrição, o desequilíbrio hidroeletrolítico e a sepse. Outro fator importante que se associa ao pior prognóstico é o alto débito inicial pela fístula.O tratamento com sucesso das fístulas gastrointestinais ainda é um desafio para o endoscopista. O surgimento da fístula pós-operatória representa um grande desafio para a equipe médica, pois é de difícil diagnóstico e seu tratamento é complexo e multidisciplinar envolvendo o controle da sepse, da falência de múltiplos órgãos, do déficit nutricional e o da própria fístula.

Tratamento endoscópico

As opções terapêuticas propostas vão do tratamento clínico conservador à laparotomia exploradora com fechamento primário da fístula e, em casos de contaminação, que são a maioria, a drenagem endoscópica, drenagem radiológica ou laparoscópica. Técnicas de drenagem interna com pigtails, septotomia + dilatação e terapia a vácuo Técnicas de drenagem interna com pigtails, septotomia + dilatação, proteses e terapia a vácuo podem ser utilizadas no tratamento de fistulas gastrontestinais.

fistulas.jpg